Circuito Qualidade Caixa

Switch to desktop Register Login

Atletas profissionais estão sempre querendo superar seus próprios limites. Corredores são uma prova disso. Com o intuito de melhorar sua performance, treinam pesado várias horas por dia, todos os dias da semana. Para piorar, dizem que a corrida vicia, o que tem o seu fundo de verdade. Assim, lançar mão de alguns dias de repouso é impensável para alguns.
Porém, tão importante quanto treinar é descansar. Atletas amadores ou profissionais devem separar um tempo para a recuperação ou regeneração do corpo. O descanso tem de fazer parte do treinamento de todo esportista. Contudo, até mesmo atletas de elite negligenciam a prática. Mas para a alegria dos mais aficionados, o descanso pode ser parcial. É o que se chama de repouso ativo (ou treino regenerativo), o que, para muitos, pode ser mais produtivo do que o repouso total.
O repouso ativo sugere que o corredor intercale treinos fortes com moderados e leves, ajudando o atleta a evitar o desgaste físico, a poupar a musculatura, a prevenir lesões e a restaurar o sistema cardiovascular. Na hora do descanso, o organismo passa por um processo de adaptações fisiológicas, que geram a evolução do atleta, dando a ele maior força, resistência e velocidade. Na verdade, para muitos especialistas, o descanso é o grande segredo da autossuperação dos atletas.
O treino regenerativo pode ser uma corrida suave, uma caminhada ou qualquer outra atividade de baixa intensidade, sem grandes exigências físicas ou psicológicas do corredor. Entretanto, dias de repouso total também devem ser fixados na agenda do atleta. Se for iniciante, então, o chamado descanso passivo é mais importante ainda. Sem um bom condicionamento físico, a atividade excessiva pode gerar fadiga precoce.

O corpo fala

Aliás, o excesso de exercícios físicos pode levar ao overtrainingOvertraining ou vigorexia é treinar mais do que o corpo suporta. O volume e a intensidade exagerada do treino, a falta do acompanhamento de um técnico e o descaso com o descanso é o que geralmente causa o overtraining. Capaz de prejudicar toda a vida do esportista, o overtraining nem sempre é fácil de ser reconhecido. Por isso é tão importante prestar atenção aos sinais do corpo. O corpo fala.
Alguns dos sintomas do overtraining são perda de apetite, pequenas ou grandes lesões, mudanças de humor, qualidade do sono comprometida, dores musculares, irritabilidade, mau humor, falta de libido, apatia, cansaço anormal, aumento da frequência cardíaca em repouso, estresse físico, queda de condicionamento, entre outras.  É claro que esses sintomas aparecerão em maior ou menor grau, dependendo do nível de tolerância de cada um. O certo é que o overtraining pode acarretar alterações físicas, motoras, metabólicas, cardiovasculares, hormonais e psicológicas no atleta, tirando-o, até mesmo, de circuito
Portanto, o grande lance é sempre usar o bom senso e treinar com inteligência. É saber usar o repouso ativo ou o descanso total a seu favor. É dosar a quantidade e intensidade dos treinos com o descanso do corpo e da mente. É ouvir o que o seu corpo está dizendo. É fazer tudo isso com a assistência de um treinador ou especialista. Só assim você poderá se tornar o atleta que deseja ser.

Última modificação em
Entre para postar comentários

DGRAU todos os direitos reservados | Template Design © Joomla, GavickPro

Top Desktop version